terça-feira, 28 de julho de 2009

rosalva

Entrou no palco pela diagonal esquerda com uma rosa no cabelo e me olhou enviesado, morri.
Nem reparei quando ela escorregou na pirueta a la second, quem viu?
Eu só reparei naquela menina com uma flor no cabelo, a Rosalva. Nela e no Don mais digno da noite, que amparava a Rosalva como um toureiro ao contrário.
Eu fiquei pensando na Rosalva se abanando com o leque. A rosa no cabelo, o leque incessante na mão direita enquanto as pernas brincavam do balé esquisito que é Dom Quixote. Eu pensei que talvez o Vinicius tenha visto a Rosalva dançar em alguma taverna de Granada e tenha escrito o poema da menina com uma flor entre as mãos por engano, de perturbado que deve ter ficado.

Uns dias depois veio dizer que se chamava era Luciana. Dançou um Pas classique sem rosa, sem charme, sem leque, sem Juan, sem me olhar nos olhos. E saiu de ombros levantados e pescoço perdido. Tão sem graça quanto Luciana.

2 comentários:

Denise Martins, disse...

não achei nada de mais hunfth!a pequenininha do conservatório
é mtoooooooo mais linda!

Camila disse...

uhauhauahah
é, as do conservatório são é uma história de além-mundo! o.O