segunda-feira, 29 de junho de 2009

nu artístico

Sabe, Alfredo, eu nunca tinha sentido isso antes, eu ando te amando tão loucamente, tão de-ses-pe-ra-da-men-te!
Eu ando sentindo uma vontade, que de tanta vontade dizem que é craving, de ter um filho seu crescendo dentro de mim. É a sensação mais estranha do mundo, Alfredo.
Mas é que você é lindo, Alfredo. Você e esses seus cílios curvados, você e esses seus pés curvados, Alfredo essa sua boca indecente de linda demais, esse seu jeito de vir, Alfredo, que faz a rua inteira levitar, tudo isso tem que ficar aqui, mesmo quando você for embora.
É tão melhor com você Alfredo, tão mais bonito. Escreve em mim seus genes, eu quero uma tatuagem de amor no útero, escreve Alfredo? Pra gente publicar aqui no mundo pra sempre porque o que vai ser do mundo se não tiver você, me diz Alfredo?
Eu quero ser a mãe da sua filha, Alfredo. Uma mãe de Atenas, Alfredo, daquelas que são só terra assim, eu não quero fundir minha escrita com a sua, misturar os genes. Eu sou a terra pra você plantar, Alfredo. Eu quero que uma partezinha sua cresça dentro de mim, uma partezinha sua vai conhecer meu avesso.
Viu Alfredo? O nosso amor não é oco. Eu quero amamentar nossa filha, alimentar sua eternidade Alfredo.

E também quero que você acorde com aquela carinha tooda inchada de sono, pra buscar sushi de atum com mel de madrugada.

3 comentários:

Denise Martins, disse...

aaaaaaaao!

Keyciane Pedrosa disse...

Ai... como eu adoro essas coisas...

GaB! disse...

a d o r e i.
E acredito em Dom.
Você é a prova! ;)