domingo, 10 de agosto de 2008

- tarefa

era pra escolher uma verdade qualquer e defender, como se tivesse muito perigo, como se ela pudesse ser raptada por alguém e sumir pra sempre. e ainda era pra defender de mãos atadas, com 1800 toques no teclado.
mas a verdade é que eu não gostei muito da idéia não, nem as minhas verdades. é que elas moram tão dentro, tão dentro e são segredo, seu moço. e eu tenho um acordo com elas, não as coloco pra fora pra não correrem perigo . lá fora elas poderiam se perder mesmo e virar mentiras, suposições, frases banais. aqui dentro ainda não ficou tão escuro.
então eu vou defender minhas verdades nesse seu texto de 60 toques por linhas. vou pegar uma mentira, ou uma suposição, ou uma coisa banal e travestir de verdade pra você transformar em número depois, é o jeito.
e minhas verdadeiras verdades vão continuar aqui dentro, ternas, internas, silenciosas, indizíveis.

Um comentário:

Madame Rosmerta disse...

Nossa... Camila!
Eu não podia imaginar o quão cheia de poesia você é! Permita-me adicioná-la entre meus favoritos, pra que eu não me esqueça de acompanhar essas delícias que aqui leio.
Um baraço!