sábado, 21 de maio de 2011

É eu preciso dizer

Não vê que isso é pecado, desprezar quem lhe quer bem?



Ela não recusaria se tivesse pra dar, acreditem. Mas pedir pra ela um pouquinho de amor é como pedir as chaves pro motorista daqueles veículos que têm cofre e as chaves ficam na empresa. O amor dela é assim, mora em outro lugar, bem longe.


A verdade é que o amor de muita gente fica em outros lugares. O amor faz isso de brincadeira. A diferença é que o amor de muita gente gosta de brincar de pega-pega


'tá com você'.


Mas o amor dela era amor de esconde-esconde. A gente não sabe se pela energia baixa, ou pelo acúmulo de vênus nas casas 5,6,7,8.


Antes que vocês achem que ela nega o que não é direito ninguém recusar, eu preciso dizer:


O amor dela se esconde nas linhas das mãos dos outros. Ele faz isso sozinho, por acaso ou sorte, nunca por merecimento ou processo seletivo. É por isso que eu preciso te alertar sobre os filmes românticos, os planos e estratégias de conquista. O amor pode ser conquistado, mas não esse. Esse tipo de amor de esconde-esconde só pode ser mesmo encontrado. Não importa quantos balões você colocar no céu, quantas poesias, o amor dela tá num esconderijo. Tá num esconderijo e é cego. Não é culpa dela, não é fracasso seu. As borboletas do estômago não voam quando a gente quer. O corpo não mente, mas fala um dialeto traiçoeiro.


Quando ela encontra o esconderijo, não consegue esconder as evidências de


'1,2,3 salve o mundo'


as evidências são: tremores, dificuldade na fala, olhar viciado, sorriso bobo. Outras manifestações podem significar um carinho imenso, um amor do tipo amizade. No dialeto do corpo, carinho imenso significa afeto grande. E desse tipo de sentimento ela tem as chaves. Só ganha quem merece. Esse não é o amor de esconde-esconde. Ele não é maior nem menor. O limite é o céu da boca.


Ela vai te mentir que não procura. Ela sabe que procura sem querer e também sabe que a procura é tão eficiente quanto os balões do outro parágrafo.


Por fim, eu digo que quando ela fala que não reconhece o amor em você eu nem posso dizer sinto muito. Ela já encontrou o amor algumas vezes e continua amiga desses esconderijos. Você jamais vai perguntar pra eles, mas se fizesse eu aposto que a resposta seria essa: ela é três mil vezes melhor amiga do que amante.





4 comentários:

penas e tinta. disse...

muito obrigado pela prosa poética de hoje, hoje e sempre.

Camila disse...

Mas hoje eu é que tenho que te agradecer. Muito!

Ana Paula Saltão disse...

Gente, minha cara.
Muitos suspiros, Camila. Lindo!

Thaysa Freitas disse...

"alertar sobre os filmes românticos, os planos e estratégias de conquista", importante.