domingo, 1 de junho de 2014

eu que não amo você

Percebi que quando escrevo (textos ou as linhas tortas da vida) costumo cometer muitos erros, principalmente de pontuação.
Eu me atrapalho com as pausas e respirações. Pula uma vírgula naquela frase e o que eu penso soa como música no mau sentido, disco riscado.
Eu nunca tenho certeza, tô vendo ponto de interrogação onde não tem?
Eu, que sou blasé demais pra entender a dinâmica dos pontos de exclamação.
Eu ponto. E vírgula,
Eu, que ainda tropeço em erros primários...
Coloco reticências onde só cabe um ponto afinal.

Um comentário:

Tiago Dias disse...

Cara, você é demais!